# 7 - Sinceramente hipócritas!


E disse o SENHOR a Satanás: Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal, e que ainda retém a sua sinceridade, havendo-me tu incitado contra ele, para o consumir sem causa.
(JÓ 2:3)

É comum hoje em dia rotularmos as pessoas segundo a conduta delas diante de nossos olhos. No texto acima podemos ver que nosso julgamento é muito parecido com o que Deus fez quando falava de Jô. Nós julgamos alguém e falamos que são “íntegros e retos, tementes a Deus e que se desviam do mal” baseados no que observamos de seus comportamentos e atitudes.

Deus fez o julgamento de Jô pelo que via e por isso pensamos que também podemos julgar pelo que vemos, esquecendo a palavra que diz “não julgue para não ser julgado”, e ainda que tivéssemos direito de exercer juízo sobre os outros, um julgamento correto como o de Deus seria impossível, pois nos esquecemos de um único detalhe que faz toda a diferença:

Deus sonda os corações e nós não!

Deus mostra para satanás um Jó que todos podiam ver, assim como nós também fazemos ao julgar alguém, mas Deus também mostra um Jó que somente Ele podia ver, pois se Satanás o enxergasse, nem perderia tempo em atormentá-lo, pois o Jó que veria seria um Jô sincero e que não cai em qualquer “aramadilhazinha”.

Nesse texto pretendo comentar algo sobre Sinceridade. Esta é a virtude da graça que pretendo examinar com vocês, exercitando-a no processo.

O versículo acima nos mostra que Jó fazia muita coisa que todos podiam ver e até ele mesmo, mas ele fazia algo que ninguém podia ver. Esse é o caráter de Jô, um homem que faz o que todos julgam certo “e que ainda retém a sua sinceridade”.

Caráter é o que o homem é no escuro.
D. L. Moody


Jó servia a um Deus que ele nunca havia visto e que não fazia parte da cultura da terra onde viveu. Ele nem mesmo judeu era, se assemelhava mais com Melquesedeque do que com Abraão, e há quem diga que a história de Jó se deu antes mesmo da de Abraão. Mediante essas informações, fica a pergunta: Como poderia Jó ter agradado tanto ao Senhor?

A resposta se encontra na sinceridade do caráter de Jó. Mesmo diante das tragédias que cooperaram para o seu bem, ele se manteve firme! Não digo firme na fé nem firme diante de Deus, mas digo firme consigo mesmo. Por diversas vezes os seus “amigos” tentavam lhe arrancar uma confissão de algum pecado escondido, afinal sofrer todas as tragédias que ele sofrera só podia acontecer ao mais ímpio dos pecadores.

É engraçado como os homens pensavam que Jó não era sincero enquanto esta era talvez a única coisa que ele ainda tinha condições de ser. Eles pensavam que Jó tinha pecados escondido e o mais irônico é o fato de que o único sincero dentre todos ali era Jó, pois mesmo mediante a calamidade não abriu mão “de sua justiça”.

Quando Deus Perdoa pecados não confessados?

Se você crer que NUNCA Deus perdoará pecados não confessados, fico triste em dizer que você corre o risco de não ser sincero, mas sim um hipócrita! Jó sabia que não “tinha pecados” que justificassem as tragédias e fez o que nós nunca fazemos: Não confessar nenhum pecado por confessar! Ele não confessou nenhum pecado além dos que realmente havia cometido.

Sempre que o bixo pega e coisa fica preta, corremos pro joelho e largamos uma confissão de pecados, pensando que o bixo ta pegando e a coisa está preta por causa de nossos pecados! Confessamos pecados que não cometemos, confessamos pecados que não nos arrependemos e confessamos os pecados que achamos que poderiam ocasionar a tudo isso! Confesse, você nunca fez isso???

Nossa cultura diz que Deus é bom e que ele não faz nada de ruim. Por pensar assim que muitos tentam defender Deus quando acontecem as tsunamis e as grandes catástrofes da vida. Seja sincero e diga que não sabe o que está acontecendo, pare de tentar achar culpa em alguém, lembre-se que tudo coopera para o bem dos que amam a Deus. Tudo é tudo! Tsunami, 11 de Setembro, holocausto, chacinas, estupros e todo tipo de atrocidade cooperam para o seu bem, se é que o seu amor ao criador é sincero.

Digo isso não como afronta à fé de ninguém e nem para dizer que Deus é mal, mas digo isso por ter percebido que muitas vezes nossa fé é a mais pagã de todas. Os pagãos que acreditam em carma, causam e efeito, onde tudo é fruto de nossas ações, onde todo sofrimento é fruto do nosso pecado, mesmo que em outras vidas. Não devemos crer assim, a minha bíblia diz que o meu senhor tem que trabalhar como um oleiro que aperta, esmaga e bate no barro até ele ficar no molde desejado e olha que isso “dói!”

Sejamos sinceros como Jó pelo menos uma vez e vamos assumir que não somos sinceros, vamos abandonar nossa crença pagã de carma e cause e efeito. Se toda vez que acontecer uma tempestade em nossas vidas, ficarmos tentando achar um buraco em nosso barco, perderemos a chance de ver Deus acalmando os ventos e pior, correremos o risco de acabar furando o barco no desespero de achar o buraco que não existe! Tempestades simplesmente acontecem sem que existe um culpado!


Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com sinceridade e com verdade; e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais além do rio e no Egito, e servi ao SENHOR.
(Josué 24-14)

Vamos seguir o conselho de Josué! Vamos ser sinceros com Deus e com nossos irmãos, nossa geração tem sido hipocritamente a que mais ataca os fariseus, parecemos agentes duplos dos filmes de espionagem. Somos fariseus que se fingem de gente boa e atacam os fariseus, mas na verdade somos é Joio-espiões infiltrados no meio do trigo-irmãos, pois gente boa que é gente boa, não ataca ninguém, por mais fariseu que seja!

Talvez nessa hora alguns ainda estejam lendo e pensando que essa crítica não se aplica a eles, afinal eles são sinceros, então vou dar uma ajuda e listarei o perfil das pessoas, que como eu, se enquadram no hall de “amigos de jó” e “fariseus hipócritas”!

Não há pecadão nem pecadinho!
Se você diz isso, mas trata de forma diferente o que comete o pecado da gula e a mulher prostituta, me desculpe, mas você é um hipócrita! Assuma! Seja sincero! Diga que existem pecados grandes e pequenos ou assuma que você se sente no direito de tratar as pessoas diferentemente de acordo com o juízo que faz delas. É melhor dizer isso do que ser achado mentiroso.

Amém Senhor, eu irei!
Se você diz isso quando houve um conselho, um pedido um sermão, mas não age de acordo com o que disse, me desculpe, mas você é falso. Como dizia Jesus na parábola, o filho que agrada ao pai não é o que diz amém e nada faz, mas sim o que diz, “não quero fazer nada”, mas que no final acaba fazendo. Assuma! Seja sincero! Diga que você diz o amém para agradar quem está diante de ti, para não ficar mal ou para não fazer papel de desinteressado. É melhor dizer isso do que ser achado mentiroso.

Vivemos na Graça!
Se você diz isso, mas quando um irmão perde emprego ou fica sem dinheiro a primeira coisa que você diz é “ Irmão você tem dizimado direitinho? Você não deu os envelopes da campanha XYZ né?!” me desculpe mas você é um semi-pagão que vive na teologia do toma-lá-dá-cá, do olho por olho onde não se entende o sentido de “misericórdia quero e não sacrifícios” ou “Todas as necessidades foram supridas em Cristo”. Assuma! Seja sincero! Diga que você crê que cristo te salvou, mas que você tem que continuar fazendo mandingas-ebós-sacrifícios-obras para merecer ser abençoado e diga que não basta somente crer e viver por fé, mas tem que atender a um monte de exigências-denominacionais para se obter o favor de Deus (que nesse caso parece mais pagamento por serviços prestados do que um favor imerecido–Graça). É melhor dizer isso do que ser achado mentiroso.


Domingo é o dia do Senhor!
Se você diz isso, mas quando tem que se arrumar para ir ao culto você fica reclamando e murmurando por causa do tempo, do horário ou de qualquer coisa, me desculpe, mas você é um religioso que vai pra igreja não por que domingo é o dia do Senhor, mas sim porque tem que mostrar pra todos que você vive como se fosse! Assuma! Seja sincero! Diga que vai pro culto por costume, pra ver os amigos, pra tocar um instrumento, pra cantar, mas não diga que vai por causa única e exclusiva de Deus. É melhor dizer isso do que ser achado mentiroso.

Eu amo o pecador, mas odeio o pecado!
Se você diz isso e não consegue dar um abraço sincero num drogado rastafari que entra na sua igreja, você é o maior de todos os “amigos de Jó”, advogado de acusação, juiz, júri e carrasco. Com os lábios fala que não tem nada contra o pecador, mas se refere à “categoria” como criaturas imundas e indignas de sua atenção. Quantas vezes você parou numa rua para conversar com um travesti na av. Atlântica? Provavelmente nenhuma, mas aposto que sempre que por lá passa, ou fala algo como “Um bando de marmanjos safados” ou faz uma oração de fariseu agradecendo por não ser como eles! Assuma! Seja sincero! Diga que você tem dificuldades de tratar com amor as pessoas que você considera mais depravadas e que não consegue ama-las como a si mesmo. Assuma que você vive cometendo erros e ainda assim se ama mas não consegue amar as pessoas independentemente de seus erros. É melhor dizer isso do que ser achado mentiroso.


Eu poderia continuar citando inúmeros caso onde nos falta sinceridade, mas eu não quero confessar todos os meus pecados aqui e agora, pois todos esses casos eu tirei de minha própria existência. Vamos ser sinceros, aceitar as diferenças que temos, aceitar o espanto como espanto e o inesperado como inesperado, não vamos mais agir como se soubéssemos de tudo e como se fossemos advogados da causa de Deus, nem como se devêssemos algo para alguém!

Vou ser sincero, tem coisas que eu não entendo, tem coisas inexplicáveis que acontecem aos justos e não aos ímpios, tem situações onde é difícil ver o amor de Deus e outras onde vejo amor de mais da parte dele, os meus Ninivitas. Existem dias que não quero ir pra igreja e dias em que julgo os outros e peco por me comprometer com um sonoro “amém” mesmo sabendo que nada daquilo se tornará realidade.

Eu assumo isso tudo...Mas não assumo pecados que não tenha cometido, por isso se tenho que assumir aqui alguma coisa, assumo minha hipocrisia diante de tantas situações que vivi, mas não posso hipocritamente violentar e estuprar minha consciência confessando pecados inexistentes, só pelo fato de ter uma enfermidade constrangedora, um salário abaixo do esperado e uma dificuldade em achar meu “par-perfeito”.
Não é culpa de nenhum pecado escondido! Não é culpa de nada oculto que tenho feito, embora tenha meus pecados ocultos dos homens, não os tenho diante de Deus e isso somente por ter encontrado pouca gente que suportaria olhar na minha cara ao ouvir minhas confissões. Embora eu seja culpado, tem coisas que não são culpa minha!

Sou sincero e assumo que tenho pecados, mas não quero nunca mais ter que assumir que não sou sincero! Deste mal não morrerei e desta aguá não beberei, Oxalá que seja assim!

Prefiro assumir que “não acreditarei até que o veja com meus olhos e toque-lhe as feridas e ponha a mão no seu lado” do que dizer que creio e nunca ter certeza absoluta do que aconteceu ao 3º dia.

Jesus voltou somente para que Judas visse que era ele mesmo! E Judas glorificou a Deus sem vergonha nenhuma, afinal ele foi sincero! “Eu só acredito vendo!“.
Vamos ser sinceros, pode ser falta de fé para os outros, mas creia, Jesus gosta de gente sincera, ele vai aparecer pra você e pra mim.

O pai que queria seu filho liberto ouviu Jesus dizer “Tudo é possível ao que crê” mas, assumiu para Jesus que cria e mesmo assim não tinha fé! Parece contraditório, mas não é, cremos que Deus pode fazer, mas não temos fé que ele fará em nossas vidas. Não somos sinceros! Assumamos até onde vai nossa fé e que nem perto de um grão de mostarda chega.

Vamos ser sinceros e confessar ao Senhor nossos pecados verdadeiramente cometidos, vamos viver para Deus mais do que para os homens e vamos parar de viver para igreja institucional enquanto o mundo perece, vamos servir mais aos Homens do que à igreja, pois servindo aos homens como cristo nos serviu, com nosso amor, evangelizando com graça e auxiliando em toda boa obra de fé e caridade, estamos servindo a Deus de forma tremendamente maior do que apenas nos enfurnando em nossas igrejas-abrigo.

Vou terminar esse texto dizendo mais uma vez que minha motivação não é criticar a igreja por criticar, mas sim por notar que ela precisa urgentemente de amor e por notar isso em mim também! Confesso sinceramente que todas as críticas são fruto de meu próprio comportamento e não estou agredindo ninguém, mas apenas clamando no Deserto e escrevendo no meu diário!

Leia essas duas passagens e veja como a sinceridade é uma virtude graciosa que devemos cultivar


E se tu andares perante mim como andou Davi, teu pai, com inteireza de coração e com sinceridade, para fazeres segundo tudo o que te mandei, e guardares os meus estatutos e os meus juízos,
Então confirmarei o trono de teu reino sobre Israel para sempre; como falei acerca de teu pai Davi, dizendo: Não te faltará sucessor sobre o trono de Israel;

(1 Reis 9:4-5)

Primeiro Deus assume que Davi era sincero, Deus sempre faz isso, e logo depois ele diz para Salomão que se ele fosse como seu pai, sincero, ele seria confirmado para sempre no trono de Israel.

E bem sei eu, Deus meu, que tu provas os corações, e que da sinceridade te agradas; eu também na sinceridade de meu coração voluntariamente dei todas estas coisas; e agora vi com alegria que o teu povo, que se acha aqui, voluntariamente te deu.
SENHOR Deus de Abraão, Isaque, e Israel, nossos pais, conserva isto para sempre no intento dos pensamentos do coração de teu povo; e encaminha o seu coração para ti
(1 CR 29: 17-18)

Davi entendeu a importância de ser sincero. Ele orou a Deus depois de recolher as ofertas do povo, e clamou ao Senhor para que conservasse a sinceridade do povo em tudo que fizessem e pensassem de forma que nunca se afastassem de Deus, antes se achegassem cada vez mais perto.

Assim como Davi, eu oro ao Senhor pedindo que Deus nos ajude a andar sinceramente, quebrantados de coração e entregues a Ele, sem nos preocupar em manter pose e aparência, mas visando uma mudança de caráter e santificação verdadeira e sincera que por mais que ninguém veja ou aprove, nos traga paz e nossas almas descansem no Senhor.

Sinceramente, amém e que assim seja Senhor!


.


  1. gravatar

    # by Anônimo - 27 de outubro de 2008 18:50

    Se eu não acreditasse em Deus na maneira que eu aprendi a vê-lo e entende-lo não faria e nem diria tudo o que faço - o q não é repertir versículos e histórias bíblicas mas, sentimento vivido e resultados obtidos, como por exemplo após tudo estar aqui dialogando sobre sinceridade com alguém que nunca assume transparentemente nada e sempre se esconde atrás de imagens virtuais para se expressar e verificar como os outros se comportam a partir do q é exposto....haja insegurança, dúvida, desconfiança em fção de tudo e todos. Convenhamos tem q ser muito sincero o meu sentimento ao estar me propondo a discutir tal assunto neste nível não achas? Pq tenho sempre q ser eu a entender e explicar o meu comportamento qdo o q vejo e copio e colo está sacramentado ou tb estavas montando tudo aquilo pq tb estavas me experimentando dentro dos dizeres bíblicos, queres realmente uma santa sem sentimentos e reações a agressões de todos os tipos, esqueça não encontraras NUNCAAAAA e nunca duvide do q lhe demonstro nada faço por fazer faço pq sinto as conseqüencias são todas da resposta obtida e muito deste mundo , viu; nada extraterreno e nas estrelas não. CHEGA DE TECLAR ME DEIXOU COM RAIVA - sem a menor intenção de te agredir não...viu.!!!!Eu tô cansada de falar virtualmente, ainda tenho trabalho - graças a DEUS, e problemas na mão para digitar mais rapidamente, ajudaria muito amigos sinceros q se não podem falar cara a cara pelo menos facilitar no telefone qdo a minha raiva já esqueceu q tem sempre q ter hora para ser atendida qdo não se é quem está sendo acordada as 5h da manhã pelas amigas no celular!!!!! Te dou um pouco mais de tempo pra ligar pra mim pois to saindo do blog para terminar de fazer o almoço de amanhã para acordar as 5h (sem ser por suas amigas)e tratar da minha vida já q não entendes realmente como sou e o q sinto.